Princípios

Auto-Cura

Todo ser vivo é capaz de fazer algo para si mesmo usando sua capacidade de autocorreção. Esta capacidade é considerada a base da cicatrização da imunologia (autopoiese). O sistema imunológico permite ao corpo reconhecer seu agressor (antígeno) e se defender (anticorpos), mas quando a agressão é muito forte ou quando chega de surpresa e o corpo não conhece o agente agressor, esta capacidade de auto reparação não se manifesta e os sintomas da doença se instalam.

Cicatriz Patológica

A microkinesitherapie define a cicatriz patológica como uma perturbação do ritmo vital do organismo, um rastro da agressão que o paciente sofreu e que o organismo não conseguiu eliminar e que pode ser percebida por meio da palpação do terapeuta sobre a pele do paciente. A cicatriz patológica desequilibra as células e os tecidos orgânicos, atrapalha suas funções e muito comumente gera sintomas. O tecido orgânico onde a cicatriz está instalada perde vitalidade, se torna mais endurecimento e resistente à palpação. Esta cicatriz patogênica pode assemelhar-se ao que os físicos dizem ser “memória tecidual”. Pesquisas nesta área, apoiam a teoria de que as lembranças são armazenadas no corpo todo e não somente no cérebro. Todos os tecidos orgânicos são submetidos e reagem aos eventos que acontecem durante nossa existência e guardam estas memórias.

A Correção Homeopática

Na imunologia, um organismo só pode iniciar seu mecanismo de defesa pela ação dos anticorpos quando reconhece o seu agressor, o antígeno. Esta lei é seguida também pela microkinesitherapie. O terapeuta encontra a cicatriz patológica, o rastro da memória deixada pelo antígeno que penetrou no corpo, e a utiliza para reinformar o sistema de defesa.
O fundador da homeopatia Samuel Hahnemann descobriu dois princípios para esta ciência: a lei da “semelhança” e a do “infinitesimal”. Estas duas leis foram retomadas e utilizadas pela microkinesitherapie, da seguinte forma: a lei de cura pelo semelhante significa a reprodução da agressão sobre a cicatriz patológica e a do infinitesimal significa utilizar uma quantidade ínfima de estimulo palpatório.
O gesto de correção efetuado sobre o local de entrada da agressão (cicatriz patológica) deve ser o menor possível, infinitesimal e em microescala (palpação mínima) para estimular a cicatriz patogênica de maneira suave e lenta, evitando o despertar da cicatriz. O terapeuta deve apenas fornecer ao organismo a possibilidade de reconhecer o agressor e desencadear a autocorreção.

Micropalpação

Micropalpação é um gesto manual utilizado pelo terapeuta sobre o corpo do paciente, tanto para o diagnóstico funcional, localizando a cicatriz patológica, como para obter as informações sobre às consequências desta agressão (os sintomas). Por meio da micropalpação, é possível perceber o ritmo vital especifico de cada tecido. Se o organismo apresentar uma resistência para um gesto num local específico, significa que os ritmos vitais estão alterados neste local por um evento traumático, que não foi excluído pelo corpo e que, por isso, deve ser tratado. Se o organismo não apresentar nenhuma restrição, nenhuma resistência a palpação efetuada, significa que a zona testada está livre e não contém nenhuma marca ou registro, nenhuma memória de eventos perturbadores e então, neste caso, não necessita de tratamento.