Leitura Biológica

leiturabiologica2

A Leitura Biológica é uma técnica proposta pelo fisioterapeuta belga Emmanuel Corbeel inspirada no estudo da filogênese, da embriologia, da ontogênese, da etologia animal e principalmente no estudo da Nova Medicina Germânica (GNM). A Leitura considera importante reprogramar o momento de um choque emocional brutal e inesperado vivido por um indivíduo como a perda de alguém, como uma agressão física, como uma falência financeira e etc.. Este momento de hiperestresse, provoca como consequência, a alteração de uma área cerebral específica e atinge um órgão ou uma parte do corpo correspondente a esta área, levando no futuro, ao aparecimento das patologias (doenças). As nossas doenças, na verdade, não fogem dos acontecimentos traumáticos das nossas vidas, elas fazem parte de um programa especial de sobrevivência da natureza comum a todos os vivos e influenciados pelos acontecimentos vividos pelos nossos ancestrais. O objetivo desta técnica é reprogramar o funcionamento entre psique-cérebro-órgão relacionados as patologias, levando em consideração a conexão destes fatos com a ancestralidade.

Na natureza temos diferentes programas de sobrevivência em função da evolução e da filogênese. Nestes programas arcaicos estão incluídos: o sono reparador (uma necessidade para todo ser vivo), a marcação de território, farejar o perigo (pré sentir), a separação (na natureza cuidar do filhote é imperativo), mostrar as presas (uma antiga forma de dissuasão), a camuflagem entre outros. Porém, diante de um hiperestresse, programas especiais são acionados. Estes programas biológicos especiais da natureza são iniciados após um choque emocional sempre que ocorrer uma inibição da ação por parte do indivíduo que sofre o trauma.

genealogicaO Dr. Hamer, médico oncologista alemão fundador da Nova Medicina Germânica, afirma que a doença é definida como um acontecimento agindo em três níveis: Psiquismo – Cérebro – Órgão e obedece às cinco leis biológicas. Ele estudou muitas tomografias computadorizadas e observou manchas redondas no cérebro que lembravam “alvos” e que se encontravam localizadas em níveis cerebrais específicos, relacionados aos sintomas e ao tecido do órgão atingido, estas informações permitiram-no mapear todo o cérebro. Dependendo da localização destes pontos no cérebro, pode-se dizer qual o tipo do conflito sofrido pelo individuo, qual o tecido em sofrimento (conjuntivo, nervoso, ósseo, muscular, epitelial) e qual a parte do corpo que esse estresse irá atingir, desencadeando uma "doença”. O Dr. Hamer descobriu que existe uma relação direta entre o psiquismo arcaico de um ser vivo, a expressão do programa biológico no tecido do órgão correspondente e a área específica do cérebro. Para uma mesma patologia (doença) são sempre as mesmas áreas cerebrais que são envolvidas, tanto no ser humano como no animal.

As cinco leis biológicas propostas pela Nova Medicina Germânica, explicam a causa, o desenvolvimento e a cura natural das "doenças" baseadas em princípios biológicos universais. De acordo com estas leis biológicas, as chamadas "doenças" são parte de "um programa biológico especial da natureza" (SBS), criado para ajudar um indivíduo durante um período de sofrimento emocional e psicológico. Estes programas biológicos arcaicos seguem a lei bifásica da natureza acompanhando o ciclo dia/noite (sistema simpático – parassimpático).   O   Dr. Hamer constatou também que diante de um hiperestresse, o modo preferencial de resposta varia segundo a polaridade de nascimento (lateralidade). Definiu o hemicórtex (um lado do cérebro) esquerdo como feminino e o hemicórtex direito como masculino, cada um destes hemicórtex produz uma resposta própria ao estresse. Por isto, após um mesmo conflito hiperestressante, os destros e os canhotos de ambos os sexos expressarão respostas biológicas diferentes.

Além dos conceitos propostos pela Nova Medicina Germânica, foram de imenso valor para a construção desta técnica, os estudos sobre a construção da vida no planeta e sobre o desenvolvimento biológico dos seres vivos, desde os seres unicelulares até o ser humano, seus comportamentos, seus programas arcaicos de sobrevivência associados ao estudo trans-geracional, estudo este que se ocupa da transmissão das informações memorizadas para as gerações seguintes. Lembrando que a memorização da informação é sempre necessária para que haja aprendizado e evolução. A cada experiência de vida, a informação se acumula e é automaticamente replicada e passada para os descendentes. A nossa história de vida está relacionada também com a memória do nosso clã familiar e isto explica porque as memórias de conflitos não resolvidos são passadas para as gerações futuras.

Todas as pessoas recebem uma herança de seus antepassados que irá influenciar nos acontecimentos da sua vida, mas cada pessoa sente e reage às situações difíceis da vida de maneiras diferentes influenciadas pela sua construção de vida e também pelas heranças genéticas e pela lateralidade. Essas respostas irão afetar os órgãos se a pessoa se encontrar diante de uma impossibilidade de reação e os seus sintomas serão as pistas que auxiliarão o terapeuta a reencontrar o conflito vivido. O papel da Leitura Biológica é trazer a resposta do inconsciente para o consciente ativando a autocura do organismo ao mesmo tempo que elucida a ligação do acontecimento traumático da sua vida com a vivência de seus ancestrais.